segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

5 dicas de como utilizar a Internet de forma assertiva na busca de emprego

Já dizia a velha frase, “buscar trabalho é um trabalho”. E nos dias de hoje essa busca deve ser ainda mais cuidadosa, no entanto, as possibilidades foram ampliadas e até mesmo facilitadas com a chegada da Internet. Se tempos atrás o profissional precisava imprimir centenas de currículos e bater de porta em porta oferecendo seu serviço, com a era digital bastam alguns minutos para que seu perfil seja avaliado por diversos selecionadores.

No entanto, o fato do processo ter se tornado mais ágil, não exige menos dedicação dos candidatos. Quem deseja uma boa recolocação precisa estar atento e vender uma boa imagem na web. Se por um lado ficou mais simples para o profissional, por outro, os recrutadores também recebem rapidamente um número grande de currículos, sendo assim, é necessário tomar alguns cuidados e se destacar entre os demais.

Conheça algumas dicas de como utilizar a Internet e sua infinidade de ferramentas, de maneira assertiva na busca de empregos, para conseguir a tão sonhada vaga no mercado de trabalho:

CURRÍCULO ATUALIZADO: De acordo com Fábio Berklian, Coordenador da RS Press, agência de Comunicação, o profissional deve se preocupar em elaborar um bom currículo digital, com todas as informações necessárias, como dados pessoais, cargo de interesse, experiência profissional e cursos relacionados à área, além de mantê-lo sempre atualizado. “Perfis completos e currículos bem elaborados facilitam a apreciação dos responsáveis por recrutamento, aumentando a visibilidade do profissional”, afirma.

IMAGEM NA WEB: A internet oferece um mundo de opções para que as pessoas incluam seus perfis e mostrem mais suas experiências, conhecimentos e habilidades. Para Edson Félix, consultor de carreiras, “vender o peixe” é fundamental. “Todo comportamento e conhecimento estão sendo observados cada vez mais pelas empresas, principalmente por aquelas que oferecem as grandes oportunidades”, explica. Sendo assim, todo cuidado é importante para não perder boas chances por conta de pequenos detalhes. Fique atento!

DEDICAÇÃO: De acordo com Adália Assis, consultora da Catho Online, o profissional deve ter uma postura ativa e fazer buscas de vagas todos os dias. “É indicado que ele invista, no mínimo, 4 horas por dia na procura pelo novo emprego. Investir na busca pela recolocação exige dedicação e empenho, sendo esses fatores determinantes para o sucesso profissional”, destaca.

SITES DE EMPREGO: “Escolha sites de empregos que tenham atuação reconhecida e utilizada por empresas idôneas”, indica Berklian. É importante que o profissional pesquise sobre o trabalho deste classificado online para que não caia em golpes e seja prejudicado. De acordo com a mais recente Pesquisa dos Executivos, realizada pelaCatho Online, 11% dos empregados foram contratados por sites de classificados para o emprego atual, sendo o segundo meio mais efetivo de contratação.

CONTATOSPor meio da Internet as pessoas conseguem manter e aumentar sua base de contatos profissionais, facilitando a troca de ideias e ampliando as chances de ser lembrado e indicado a uma oportunidade. Para Félix “o mundo virtual facilita muito o contato e aproxima  o profissional das oportunidades de bons empregos”.  O importante é sempre manter essa relação de forma saudável, e utilizando o bom senso.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

PESQUISA CATHO ONLINE

A pesquisa da Catho Online destaca tempo mínimo que os profissionais devem permanecer na mesma empresa, segundo recrutadores

O tempo de permanência apontado pelos recrutadores, varia de 2 anos e 3 meses a 4 anos e 4 meses, de acordo com a idade dos entrevistados


Catho Online, maior classificados online de currículos e empregos da América Latina, realizou um novo estudo com base na mais recente edição da Pesquisa dos Executivos e identificou que de acordo com os dados, houve uma queda no tempo mínimo que o recrutador julga que um profissional deva permanecer em uma empresa. A pesquisa contou com a participação de 46.067 respondentes.
Conforme aponta o estudo, o tempo mínimo avaliado pelos recrutadores é de 2,9 anos, sendo que em 2009 essa mediana era de 3,5 anos, e se mantinha estável desde 2005.
pesquisa sobre a Contratação, Demissão e Carreira dos Executivos Brasileiros

É interessante destacar que os valores mudam expressivamente de acordo com a idade dos recrutadores. Nesse ponto há uma divisão entre os mais jovens, em que a maioria acredita que um período de pelo menos 2,3 anos seja adequado, e os mais maduros, que apostam em uma estabilidade maior,  com 4,4 anos de permanência nas empresas.
pesquisa sobre a Contratação, Demissão e Carreira dos Executivos Brasileiros

Quando os profissionais são questionados sobre o tempo que estão trabalhando na empresa atual, a média fica próxima a esperada, uma vez que aproximadamente 50% dos profissionais estão há pelo menos 2 anos em seu emprego atual e 25%, há mais de 5 anos.
pesquisa sobre a Contratação, Demissão e Carreira dos Executivos Brasileiros

“Os jovens de hoje tiveram grande influência na mudança deste cenário. São profissionais que trabalham em busca de  desafios, que vivem atrás de novidades. No entanto, mais importante do que o tempo de permanência na empresa, é a evolução do profissional. Se ele está há muito tempo na organização, mas apresenta crescimento, isso pode ser algo positivo. Já se ele muda constantemente de emprego, mas consegue sempre algo melhor e mais experiência, também pode ser algo interessante”, explica Adriano Meirinho, diretor de marketing da Catho Online.

Sobre a Pesquisa
A pesquisa sobre a Contratação, Demissão e Carreira dos Executivos Brasileiros foi realizada no mês de abril de 2011. A análise contou com a opinião de 46.067 participantes, que responderam a um formulário online com 249 perguntas, questionando sobre três dimensões da vida do profissional. Foram levadas em consideração apenas as respostas de profissionais que possuem mais de 16 anos, que trabalham para empresas privadas ou mistas e residentes no Brasil.

Esta pesquisa é realizada pela Catho Online desde 1988.


Fonte: Catho Blog – Novidades Institucionais da Catho Online 


JOGO DOS SETE ERROS NO CURRÍCULO


Mariana Fonseca

Que o currículo é a porta de entrada para qualquer oportunidade de trabalho não é mais novidade para ninguém, não é mesmo? Mas ainda há quem cometa deslizes e coloque tudo a perder no processo seletivo.

Erros no currículo – por falta de atenção ou desconhecimento dos modelos básicos – não podem ser cometidos para quem busca se destacar no mercado. “O candidato deve estar muito atento ao que escreve, pois o que despertará o interesse do recrutador em conhecê-lo será um currículo bem elaborado”, afirma Letícia D’Incao, consultora da Cia de Talentos. 

Para evitar gafes, atrair o recrutador e conquistar sua vaga, saiba quais são os maiores erros cometidos nos currículos na galeria a seguir!

Erros de português
Erros gramaticais e ortográficos queimam o filme do candidato. Dominar o idioma é obrigação de todo profissional. “Ótima formação e boas experiências caem à tona, se o CV apresentar gafes da língua portuguesa. O excesso do gerúndio também deve ser evitado”, afirma Letícia. Preste atenção redobrada no momento de redigir o currículo!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Como alavancar a carreira em 2012

Autor: Caio Lauer

O ano de 2012 chegou e, com ele, toda a motivação de um novo período profissional. Crescer dentro da empresa, mudar para um emprego melhor, alcançar o cargo de liderança tão almejado ou ter o próprio negócio: todas estas são opções para quem deseja crescer na carreira e obter êxito em sua atividade. Conversamos com especialistas no assunto, que indicam as melhores maneiras para atingir o sucesso profissional.

Saber exatamente o que busca é essencial. A pessoa necessita ter ideia dos seus pontos fortes e do seu desenvolvimento, assim como qual perfil de organização a atrai. “Ela pode fazer isso estando simplesmente atenta a ela mesma, pesquisando o mercado e, eventualmente, com formações adicionais. Também é válido o recurso de buscar profissionais que a ajudem neste processo, quer sejam consultores de carreira, coaches ou algum profissional de confiança que a desafie a ir mais longe”, indica Susana Azevedo, especialista em coaching para executivos.

O mercado de trabalho é ditado por tendências, baseadas nas necessidades pontuais das empresas. Hoje, com as organizações cada vez mais descentralizadas e com menos distância entre níveis hierárquicos, as competências ligadas à comunicação e gestão de conflitos são importantes, mas uma delas se destaca: a liderança. “Grandes talentos que não disponham de espírito de equipe e capacidade de liderança podem arruinar as organizações. Portanto, as empresas devem estar atentas na escolha de seus líderes para que estes profissionais sejam capazes de oferecer boas orientações e dar continuidade aos negócios”, opina Sandra Lucena Souto, diretora Comercial e de Marketing da ProPay, consultoria em RH. Para ela, uma companhia com problemas de liderança ou com líderes que não estejam preparados, pode ter seus dias contados. “É um risco muito grande”.

Aprimorar os conhecimentos e desenvolver habilidades por meio de cursos e graduações ainda é um ótimo caminho. O mercado atual exige como nunca conhecimento técnico e específico de determinadas funções, e buscar educação profissional é uma alternativa valorizada pelas empresas. De acordo com Dr. Valderes Fernandes Pinheiro, diretor acadêmico da Faculdade Impacta Tecnologia, a pós-graduação se tornou fator determinante para a carreira do profissional. “Cursar um MBA também é importante para pessoas que almejam atuar em cargo de gestão, pois dá uma visão global do negócio da empresa, além de aprimorar questões de liderança”, aponta.

Ainda sobre educação, com a massificação das universidades, atualmente existem inúmeros cursos e faculdades e cabe ao indivíduo saber selecionar qual oferece as melhores opções e recursos para seu objetivo. “Hoje, existem muitas instituições que dizem oferecer um MBA, mas é apenas fachada. O maior foco destes cursos deve ser desenvolver competências de liderança e visão de mercado, mas não é o que ocorre na prática”, relata Dr. Valderes.

Novas tecnologias
Sem dúvidas, dominar este advento nos negócios é essencial. Dia após dia, novidades em soluções tecnológicas surgem no universo corporativo e cabe aos profissionais serem críticos na escolha das tecnologias que usarão e que terão acesso para ganhar mais produtividade e também para reduzir riscos e custos.

“Atualmente, ter acesso às tecnologias mais avançadas é essencial para qualquer modelo de negócio. Além disso, estar atualizado com os assuntos e tendências mais modernas é de grande apoio no momento da tomada de decisão”, diz Sandra.

A tecnologia é uma ferramenta que pode e deve ser usada nas práticas profissionais, não como um fim, mas como um meio, alerta Susana Azevedo: ”A tecnologia não substitui a conversa entre as pessoas, mas aumenta a possibilidade dela ocorrer em situações de distância física, por exemplo”.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Como ser mais feliz no trabalho em 2012

Parar de reclamar pode ser o primeiro passo para que você se sinta mais satisfeito no trabalho. Comece o ano focando em assuntos que podem trazer satisfação para que você se sinta recompensado ao final do dia.

Nossa condição pessoal é fundamental para a qualidade do nosso trabalho. Se, não há muito tempo, um workaholic era elogiado, hoje percebe-se que trabalhar durante várias horas não tem ligação direta com a qualidade da demanda.

Confira abaixo cinco perguntas que você deve fazer para avaliar o quanto  está satisfeito com sua carreira.

1. Quanto você se identifica com a liderança da empresa?
Você pode até não ver o presidente da empresa em que trabalha, mas é possível avaliar como é a sua gestão com base no reconhecimento que tem no mercado. Cheque se essas políticas, realmente, são coerentes com suas aspirações pessoais.

2. Como é a sua qualidade de vida?
Você está satisfeito com o tempo que passa com a sua família? O equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é fundamental para que o trabalho não vire fonte de frustrações e problemas. Para isso, mude hábitos. Organize-se, deixe de ser multitarefa, seja disciplinado. Faça de tudo para ter hábitos de profissionais altamente produtivos.

3. Quais são as perspectivas de crescimento profissional?
O profissional que se preocupa com a sua carreira e investe em especialização e capacitação com cursos tem mais chances de se destacar, mas para isso é preciso ter oportunidades na empresa.
O desenvolvimento na carreira é um elemento essencial para que você se sinta pleno no trabalho.

4. Os seus valores estão alinhados aos da empresa?
O que você realmente preza e gostaria que seus colegas de trabalho também compartilhassem? Honre seus valores, pois se você se sente oprimido ou obrigado a trabalhar de uma maneira com a qual não concorda, o trabalho pode não compensar.

5. A remuneração atende às suas necessidades?
Muitas pessoas acham que precisam permanecer em um emprego que detestam por conta do salário. Reflita sobre sua relação com o dinheiro, não se torne escravo de um estilo de vida que não permite que você usufrua um tempo livre com a família ou que só exista para alimentar seu ego.

Um salário alto encanta no primeiro e no segundo mês, mas se o trabalho não oferece desafios que agradem, acaba não valendo a pena. Lembre-se: dinheiro não é tudo. Entre as profissões que têm as pessoas mais felizes estão carreiras totalmente baseadas em paixões e não em salários eloquentes.

Fonte: Portal Exame

O Sorvete de Baunilha e o Pontiac

Este artigo é antigo, mas a reflexão dele nos leva a saber quanta importância tem os clientes para o sucesso de um produto e/ou empresa.
Esron C Menezes


A história ou "causo", como está sendo batizada aqui no Brasil, começa quando o gerente da divisão de carros da Pontiac, da GM dos EUA, recebeu uma curiosa carta de reclamação de um cliente. Eis o que ele escreveu:

"Esta é a segunda vez que mando uma carta para vocês, e não os culpo por não me responder. Eu posso parecer louco, mas o fato é que nós temos uma tradição em nossa família, que é a de comer sorvete depois do jantar. Repetimos este hábito todas as noites, variando apenas o tipo do sorvete, e eu sou o encarregado de ir comprá-lo.

Recentemente comprei um novo Pontiac e desde então minhas idas à sorveteria se transformaram num problema. Sempre que eu compro sorvete de baunilha, quando volto da loja para casa, o carro não funciona . Se compro qualquer outro tipo de sorvete, o carro funciona normalmente.

Os senhores devem achar que eu estou realmente louco, mas não importa o quão tola possa parecer minha reclamação. O fato é que estou muito irritado com meu Pontiac modelo 99".

A carta gerou tantas piadas do pessoal da GM que o presidente da empresa acabou recebendo uma cópia da reclamação. Ele resolveu levar a sério e mandou um engenheiro conversar com o autor da carta.

O funcionário e o reclamante, um senhor bem-sucedido na vida e dono de vários carros, foram juntos à sorveteria no fatídico Pontiac.

O engenheiro sugeriu sabor baunilha para testar a reclamação e o carro efetivamente não funcionou. O funcionário da GM voltou nos dias seguintes, à mesma hora, e fez o mesmo trajeto, e só variou o sabor do sorvete. Mais uma vez, o carro só não pegava na volta, quando o sabor escolhido era baunilha.

O problema acabou virando uma obsessão para o engenheiro, que passou a fazer experiências diárias, anotando todos os detalhes possíveis, e depois de duas semanas chegou a primeira grande descoberta.

Quando escolhia baunilha, o comprador gastava menos tempo, porque este tipo de sorvete estava bem na frente. Examinando o carro, o engenheiro fez nova descoberta: como o tempo de compra era muito mais reduzido no caso da baunilha em comparação com o tempo dos outros sabores, o motor não chegava a esfriar. Com isso os vapores de combustível não se dissipavam, impedindo que a nova partida fosse instantânea.

A partir deste episódio, a Pontiac mudou o sistema de alimentação de combustível e introduziu a alteração em todos os modelos a partir da linha 99. Mais que isso, o autor da reclamação ganhou um carro novo, além da reforma do que não pegava com sorvete de baunilha.

A GM distribuiu também um memorando interno, exigindo que seus funcionários levem a sério até as reclamações mais estapafúrdias, " porque pode ser que uma grande inovação esteja por atrás de um sorvete de baunilha" diz a carta da GM.

Isso serve para as empresas nacionais que não tem o costume de dar atenção a seus clientes, tratando-os até mal. Com certeza esse consumidor americano comprará um outro Pontiac, porque qualidade não está dentro da empresa, está também no atendimento que despendemos aos nossos clientes."

Olhem como qualquer reclamação de um cliente pode levar a uma descoberta totalmente inesperada do seu produto. Parece coisa de louco, mas não é.

Esta é a moral de uma história que está circulando de boca em boca entre os principais especialistas norte-americanos em atendimento ao cliente. 

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

5 atitudes que podem definir sua trajetória profissional

Por Camila Lam, de EXAME.com


São Paulo – Você é o único que pode controlar sua carreira. Não espere que os outros definam em qual cargo você estará no futuro. Sentir-se acomodado é o primeiro sinal óbvio de que uma mudança é necessária no comportamento profissional.
Para José Augusto Minarelli, diretor presidente da Lens & Minarelli, ter uma atitude positiva no trabalho é fundamental para ter êxito. “O profissional que deseja ter sucesso na carreira ou no seu empreendimento tem que prestar um bom serviço para ter prestígio”, afirma.
“É preciso ter coragem para errar. Há quem tenha muita vontade de fazer, mas não tenha coragem para arriscar. Lembre-se que os grandes profissionais já erraram muito”, explica Orlando Pavani, diretor de relações institucionais e conhecimento da Gauss Consulting Group.
Confira cinco atitudes que os especialistas consideram ser importantes para se ter uma carreira de sucesso.
1 - Ter iniciativa
Pode se dizer que aquele profissional que só age quando recebe ordens já está ultrapassado. O atual contexto das empresas exige pessoas que tenham uma espécie de perfil empreendedor. Em outras palavras, que estejam dispostas a desbravar novas tarefas – sem que isso seja pedido pela chefia. Essa postura deve se tornar um hábito ao ponto que você quase não precise mais de chefe.
2 - Ser colaborativo
Oferecer ajuda aos colegas de trabalho e trabalhar em equipe são atitudes que trazem benefícios tanto para você quanto para empresa. O feedback também é essencial, pergunte às pessoas com que trabalha, como você pode melhorar e não fique abalado com as críticas.
3 - Ter disciplina
Você pode se dizer competente e motivado, mas nada adianta se não terminar todas as tarefas que propôs começar. Por isso, neste início do ano, foque em mudanças na sua rotina para ser um profissional altamente produtivo.
4 - Ser “elástico”
Para Pavani, o profissional que é aberto e “acessa” assuntos ou temas diferentes consegue ter uma visão mais ampla na hora de resolver um problema. “Eu preciso acessar o contraditório e não concordar”, explica.
5 - Prepare-se para o futuro
Invista em você e mantenha-se atualizado. Para os especialistas, é preciso participar de congressos, fazer cursos, por mais que tenha tido uma boa formação. Dessa maneira o profissional saberá que tipo de concorrente tem no mercado de trabalho e as oportunidades que o cercam.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

7 dicas para atualizar seu currículo

Por Camila Lam, de EXAME.com

Atualizar o currículo é um trabalho de edição. Para ter um bom currículo é preciso, primeiramente, ter claro qual é o seu objetivo profissional. Aproveite o começo de ano para reler e refletir sobre a sua carreira.

“Como profissional eu sugiro que as pessoas corram atrás das oportunidades, o país está em um ótimo momento para mudanças. Agora é a hora para perseguir aquele cargo que sempre desejou”, explica Andreza Santana, gerente de marketing sênior do Monster Brasil.
Para isso, é preciso ficar de olho nas oportunidades e atualizar o currículo. Confira abaixo sete dicas: 

1 - Atualize seus dados pessoais
Nome completo, telefone e e-mail. Nesse campo do currículo o ideal é acrescentar o endereço do LinkedIn, por exemplo. Entretanto, lembre-se de que tão importante quanto atualizar o seu currículo é atualizar a página da rede social profissional.
Para Andreza, os recrutadores querem saber se você faz networking, por exemplo. “De qualquer forma o recrutador irá buscar informações nas redes profissionais, por isso é interessante mantê-lo sempre atualizado”.
2 - Reflita sobre o que você quer
Seja preciso ao redigir seu objetivo profissional. Evite que o recrutador, ao ler seu currículo, tenha a impressão de que você está atirando para todos os lados. Deixe claro qual cargo você deseja ocupar e qual sua área de interesse.
“Seja o mais especifico possível ou inclua áreas afins. Um profissional de marketing pode colocar como objetivo gerência de marketing, novos negócios e relacionamento com canais”, diz Andreza.
3 - Relembre a sua formação educacional
Foque no seu objetivo profissional e avalie se vale a pena incluir algum trabalho acadêmico ou uma monografia que você tenha feito durante a faculdade.
4 - Inclua cursos e treinamentos
Cursos pontuais não devem ser incluídos, se a palestra for de um assunto aleatório e não relevante, pode parecer que o candidato está “enchendo linguiça”.
5 - Resuma sua experiência profissional
Classifique as experiências profissionais da mais recente para a primeira. O recrutador espera uma evolução profissional, por isso, foque nos resultados alcançados ou projetos realizados.
6 - Elimine informações desnecessárias
Fotos, número de CPF e RG não são dados imprescindíveis. Listar referências também não é recomendado, pois o recrutador no momento adequado pedirá nas fases seguintes da seleção.
7 - Revise o currículo
Releia o texto com atenção, corrija erros de português ou digitação. Mostre para algum amigo ou familiar para que deslizes sejam evitados.