segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Encarando desafios



Por diversas vezes nos deparamos com desafios que nunca imaginávamos encontrar em nossa carreira e graças a eles que evoluímos.

Os jovens Y por muitas vezes são taxados de ansiosos e de quererem revolucionar por onde passam. Que tal trabalharmos essas características para encararmos os desafios de forma mais produtiva?

O “desafio” que vou utilizar para exemplificar será o desenvolvimento deste texto. Pode acreditar ele deu trabalho para ser escrito.

Comecei 2011 com todo o pique, querendo escrever e logo este título me veio à mente. Enviei a primeira versão para os colaboradores do Minha Carreira, achando que seria aprovado imediatamente (ansiedade de vê-lo publicado é o que não faltou), mas aí veio o primeiro obstáculo: escrevi tão empolgado que acabei exagerando em alguns pontos, pois queria fazer algo revolucionário, totalmente diferente do trabalho que venho desenvolvendo.

Em consenso, percebi que o texto não poderia ser publicado. Troquei a linha de raciocínio, fiz diversas pesquisas sobre o assunto e devido ao impacto do primeiro obstáculo, confesso que estava um tanto quanto desanimado.

A segunda versão ficou boa, mas caiu na mesmice de outros artigos da internet, mas como jovem Y que sou, não desisti! Esfriei a cabeça, deixei o texto parado por alguns dias e finalmente encontrei a inspiração que faltava. Adivinhe onde encontrei essa inspiração? Nas minhas experiências.

Quando você se deparar com desafios, canalize a sua ansiedade para produzir, utilize sua energia para buscar soluções e não desista diante dos obstáculos. Busque sempre inspiração dentro de você. Acredite e surpreenda-se!

Eu sei que às vezes a cabeça de um Y tem milhões de ideias e ficamos um pouco sem rumo, perdidos e inseguros. Por isso faço um convite: leia os posts do Minha Carreira e fique por dentro de como pensamos. Talvez não tenhamos todas as respostas, mas estamos à procura e você pode nos ajudar.


Você vai encarar este desafio?


    sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

    Currículo é ‘péssima ferramenta’ para chegar à entrevista


    Por: Sílvio Guedes Crespo

    Candidato a emprego vende balas e entrega currículo em semáforo de Santo André (SP), em foto de 2009 (Tiago Queiroz/AE)

    Enviar currículos para empresas virou “coisa do passado”, na opinião do consultor canadense Chris Pires, especialista na área de tecnologia da informação.
    Em entrevista ao jornal britânico “Financial Times”, ele disse que o CV pode ser útil quando o candidato a uma vaga já está diante do entrevistador, mas é uma “péssima ferramenta” para chegar à entrevista.
    “Aproximadamente 80% das vagas nunca são anunciadas porque já são preenchidas no boca a boca”, afirma. “Com ferramentas de mídias sociais como o LinkedIn, em que as pessoas podem facilmente encontrar executivos que buscam profissionais [...], currículos são definitivamente uma coisa do passado.”
    Ele recomenda que as pessoas procurem emprego por meio de suas redes de contatos. Pires disse que ele próprio passou meses enviando currículos sem nunca obter uma resposta sequer, e resolveu mudar de tática: produzir um plano de carreira.
    “Parei de enviar currículos. Em vez disso, comecei a fazer entrevistas com profissionais que tinham o poder de me contratar”, contou Pires. Numa dessas entrevistas, ele foi indicado a um profissional de outra empresa e obteve o emprego. “Fiquei fascinado com como uma mudança na abordagem permitiu-me desbancar pessoas que estavam mais qualificadas no papel”, afirmou.
    “Se eu quero um emprego na Microsoft, tenho duas opções:
    - submeter meu currículo ao departamento de Recursos Humanos e esperar que em algum momento ele magicamente caia na escrivaninha do profissional com quem eu precise falar
    - ou encontrar esse profissional em uma rede social, descobrir quais são as necessidades dele, construir uma relação com ele e, então, quando um emprego surgir, eu já estou na fila.”

    terça-feira, 4 de janeiro de 2011

    Da ideia à execução


    Uma pesquisa realizada em 2007 já apontava que 49% das empresas consultadas apresentavam uma grande lacuna entre desenvolver um plano e executá-lo. E o que é pior: 64% deles não sabiam como preencher esse espaço. Mas já parou para pensar que o problema pode estar no próprio modo como o líder está gerindo esse processo? Neste artigo publicado pelo Mashable, o autor fala sobre como gestores podem superar esse desafio:

    - Defina claramente o final desejado: um dos grandes problemas de ir da ideia à execução é a falta de uma visão claramente definida. Líderes que não conseguem definir seus objetivos dificilmente podem esperar que seus colaboradores compreendam sua estratégia e participe de seus projetos.

    – Resuma o “por quê”:
     tenha em mente que o líder precisa ser claro e conciso ao se com comunicar com seus funcionários. Além disso, dar-lhes uma boa explicação sobre as decisões estratégicas pode evitar que sua equipe se desmotive durante a empreitada.

    - Reconheça sua falta de experiência: para fazer com que as estratégias corram como o esperado, tenha certeza de que possui conhecimento e habilidades necessárias para gerenciar o projeto.

    - Monte uma equipe com qualidade: foque em construir um time altamente qualificado capaz de fornecer estratégias formuladas em cima de diferentes opiniões.

    – Monitore atentamente os progressos:
     implementar uma nova estratégia pode exigir várias reuniões para discutir projetos e programas necessários. Mas, às vezes, alguma coisa pode se perder pelo caminho.

    - Fique atento ao feedback: os líderes precisam ouvir as opiniões de todos os seus funcionários (e também de clientes, quando for o caso). Você não pode se dar o luxo de se ausentar de críticas e se recusar a ouvir possíveis problemas.

    - Seja flexível: é comum surgir vários imprevistos durante o processo de implantação de uma nova ideia. Alguns reajustes podem ser necessários e é natural mudar os rumos para que os objetivos sejam alcançados.

    Fonte: ResultsON

    domingo, 2 de janeiro de 2011

    Desafios “versus” competências