sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A definição de sucesso


do Minha Carreira 




Para escrever sobre este tema pesquisei em diversos sites e revistas e pude concluir uma coisa: não existe uma definição única para o sucesso. Você sabe por quê?
Sucesso é um sentimento único e particular do indivíduo. Cada um o vê de uma maneira e é isto que faz com que não exista uma fórmula para alcançá-lo. Alguns acham que o alcançam quando conseguem uma boa remuneração, outros quando encontram um bom emprego, ou até mesmo o cargo dos sonhos, mesmo que a remuneração não seja assim tão boa.
Mas existe uma coisa que podemos identificar nos jovens da geração Y com relação ao sucesso: todos querem chegar lá muito rápido.

Buscar o sucesso é bom, pois faz com que o jovem corra atrás de seus objetivos, mas é preciso ter o pé no chão. Ter total consciência de que embora não exista uma fórmula ou receita de bolo para se chegar lá, é necessário trilhar um caminho que passa pela preparação, dedicação e perseverança.
Se o jovem não se atentar a estes detalhes pode correr o risco de se sentir frustrado sem necessidade. Afinal, uma carreira de sucesso não começa no primeiro emprego, ela começa ainda na escola quando o jovem se prepara para o mercado. Ser um bom aluno e buscar cursos para ampliar seus conhecimentos é o primeiro passo de muitos.

A dedicação deve ser algo presente todos os dias, pois não adianta você ser dedicado só por algum tempo, sua carreira não para nunca. Se a sua dedicação para, a sua carreira pode afundar. Então trabalhar bem e estar sempre atualizado deve ser sua tarefa diária.

Ter preparo e ser dedicado não é garantia de que vamos conseguir tudo aquilo que desejamos na primeira tentativa. É aqui que entra a perseverança, que se resume em nunca desistir de seus objetivos.
Acredito que sucesso é você ser feliz trabalhando com aquilo que gosta. A remuneração fica em segundo plano. E se você faz bem aquilo que gosta, o reconhecimento, inclusive financeiro, é só uma questão de tempo.
Tive a sorte de ter apoio e boa orientação desde muito cedo. Assim decidi fazer um colegial técnico na área de TI, cursar engenharia da computação e fazer diversos cursos pelo caminho. Toda esta preparação fez com que eu entrasse mais facilmente no mercado de trabalho e hoje posso dizer que, depois de passar por quatro empresas, estou trabalhando com aquilo que sempre sonhei que é o desenvolvimento para Web. Cheguei onde queria, mas podem ter certeza que não vou parar por aqui!
E para você o que é sucesso?

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Quais são os seus pontos fracos?

por Mari Coimbra em 17/11/2009 na categoria Carreira e Geração Y
Quais são os seus pontos fracos?
Crescer possui inúmeros significados: pode significar ganhar alguns centímetros (pra cima ou para os lados), desenvolver-se física e psicologicamente, fazer 18 anos, ou 21, 25, 30….
Para mim, crescer envolve um pouco de tudo isso, é amadurecer através das nossas decisões e suas consequências, dos nossos fracassos e vitórias. É entender que, por pior que seja a frustação, dali se absorve uma lição. Falo isso porque nós, Geração Y assumidos, somos mimados e não somos muito amigos da tal da frustação.
Tenho uma amiga que costuma dizer que somos a geração dos troféus, porque fomos acostumados a receber recompensas por simples participações. A maioria de nós nunca precisou chegar em primeiro lugar ou ser o melhor da turma para receber uma medalha.
Não cabe aqui discutir o que levou nossos pais a nos criarem assim – até porque esse seria um excelente assunto para outro post. Entretanto, devemos refletir acerca das consequências desse tipo de atitude em nossa formação.
Hoje somos rotulados, estudados, amados e odiados por muitos. E por mais que eu acredite que devemos tentar diminuir o gap entre as gerações, ainda vejo intolerância, teimosia e pré-conceitos vindos de todos os lados.
Muitos não entendem que o mundo dos troféus sem exigências, que o reconhecimento e o elogio por um desempenho mediano só existe dentro da nossa casa! Por mais dolorosa que essa verdade possa parecer, precisamos enxergar que não é porque nossos pais cedem aos nossos questionamentos que podemos exigir que isso aconteça no mercado de trabalho.
É preciso crescer! Entender que nem todos ganham troféus e que o “super ego” adquirido com os elogios incessantes de nossos pais deve ceder lugar à humildade de receber uma crítica e de assumir que estamos apenas chegando em um lugar ainda desconhecido, somos calouros em um mercado muitas vezes cruel e sempre realista.
Também é preciso parar para pensar que, de agora em diante, os troféus serão destinados àqueles que demonstrarem competências específicas, entregarem resultados e cumprirem metas ambiciosas. Os troféus serão destinados àqueles que fugirem da mediocridade e passarem a “dirigir a sua carreira” como disse meu amigo Bruno em seu post aqui no MC.
Culpar X, Y ou D por um fracasso é se negar a crescer, é deixar de enxergar pontos que devem ser desenvolvidos, é, enfim, boicotar seu próprio desenvolvimento, perdendo oportunidades únicas de se tornar um profissional melhor.
A chave para uma carreira de sucesso ou mesmo para a aprovação em um processo seletivo está na sua capacidade de buscar a autocrítica, aprender com as experiências (sejam elas boas ou más) e, principalmente, entender que críticas, quando construtivas, são melhores que elogios, quando gratuitos.
Podemos concluir que crescer é enxergar essa linha tênue e saber aproveitar oportunidades de aplicar tudo que aprendemos ao escolher, ao decidir e ao sofrer. Você será um profissioal cada vez melhor se souber responder com segurança e sinceridade à pergunta: “Quais os seus pontos fracos?”.



  1. Quais são os seus objetivos? Antes de iniciar qualquer atividade, devemos sempre definir quais são...
  2. Paciência e a Geração Y Uma das características marcantes da Geração Y é sua urgência...
  3. Alunos Clientes Normalmente quando escrevo meus artigos não menciono nomes de pessoas...
  4. Buscamos uma carreira de criança Desde criança sonhamos em seguir uma carreira. Seja essa intenção...
  5. Geração sob pressão, você aguenta ou estoura? “Tenho de render mais”, “Preciso aprender a fazer isso”, “Tenho...

terça-feira, 17 de agosto de 2010

5 dicas rápidas sobre posicionamento de marca


A dica de hoje foi dada por Mike Michalowicz no blog Toilet Paper Entrepreneur.
Sem muito texto, apenas 5 rápidas dicas sobre posicionamento de marca!

Saiba seus valoresVocê tem que saber seus valores, só então construa uma a marca baseada nesses valores e NUNCA os comprometa.

Encontre um nicho pequeno de mercadoQuanto menor o nicho de mercado, mais fácil é de se identificar e criar lealdade com o consumidor deste grupo.

Guarde a melhor palavra pro finalNunca use termos que já foram utilizados em propagandas de seu mesmo ramo empresarial. Procure encontrar palavras em ramos diferentes ou palavras que o seus competidores jamais usariam.

Repetição, repetição, repetiçãoConsistência é a chave para qualquer marca de sucesso. Mostre ao seu cliente, várias vezes, que seu produto terá entregas e  resultados baseados em seus valores.

Valor agregado = DiferenciaçãoAo invés de tentar ficar mais “bonitinho” que seus competidores, foque em adicionar valores extras a seu produto ou serviço. Onde está a dor? O que poderia fazer disto algo extraordinário? Deste modo você deixa a marca falar por si só.

Faça Bonito nas Apresentações

Saiba fazer apresentações para o chefe com uso de recursos visuais

Reinaldo Polito



Apresentação de subordinado para chefe tem suas peculiaridades. Como tem hierarquia na relação, quase sempre o chefe não tolera enrolação e exige objetividade. Essa história de subordinado esticar a exposição com excesso de detalhes pode não dar bom resultado. Especialmente se entrarem em jogo os recursos visuais.
Depois de três ou quatro telas, a paciência se esgota e surge a frase mais ou menos padrão: como é que é, vai demorar muito tempo para chegar ao ponto? Ou, quando a chefia pega mais leve: talvez desse para pular essas etapas intermediárias e chegar logo ao que interessa.

Dica para sequência da projeção

Nas apresentações para o chefe, o procedimento mais indicado é mostrar logo de saída um slide com resumo de toda a informação. Por exemplo, os custos, a receita, o resultado líquido e o tempo necessário para o retorno do investimento.
De posse dessas informações, seria normal que o chefe desejasse saber a seguir como o subordinado chegou àquele resultado. Assim, os slides com as fases iniciais do estudo poderiam ser expostas com tranquilidade e sem atropelos.
Apresentação com recursos visuais bem feitos não é sinônimo de excesso de sofisticação. Ao contrário, slides produzidos com cores exuberantes, sons chamativos, mudanças "acrobáticas" das imagens podem dar a impressão ao chefe de que o subordinado perdeu mais tempo em mostrar suas habilidades em usar os recursos tecnológicos do que com o conteúdo da mensagem.

Dicas para elaboração dos visuais

Para que um visual seja elaborado de maneira correta e eficiente, sem falta nem excessos, siga estas orientações:
1 – Coloque um título
2 – Faça legendas
3 – Escreva com letras legíveis - prefira os tipos Arial e Tahoma em corpo acima de 20
4 – Limite a quantidade do tamanho de letras – limite a três tamanhos
5 – Crie frases curtas – limite a sete palavras
6 – Use poucas linhas – limite a sete linhas
7 – Use cores – limite a três ou quatro cores
8 – Apresente apenas uma ideia em cada visual
9 – Utilize apenas uma ilustração em cada visual
10- Retire tudo o que for dispensável ou incompatível com a mensagem

Cada vez mais os subordinados se relacionam com seus chefes sem temores e com liberdade para se expressarem. Mesmo assim, por mais à vontade que o subordinado esteja, de uma maneira ou de outra é evidente que possa existir algum desconforto. Afinal, a hesitação ou o nervosismo, normais para quem fala em público ou em situações mais formais, podem pôr em jogo o futuro da sua carreira.
Saber como interagir com o interlocutor e usar as informações projetadas na tela é fundamental para demonstrar segurança e descontração. Por isso, o subordinado poderá seguir estes cinco passos para aumentar suas chances de sucesso:
1 – Avise. Avise o chefe que irá projetar a informação. Por exemplo: vou mostrar o plano de vendas para o próximo semestre
2 – Projete 
3 – Olhe. Após projetar, olhe na direção da tela para indicar onde ele deverá se concentrar 
4 – Comente. Faça um pequeno comentário ainda olhando na direção da tela
5 – Explique. Passe a explicar naturalmente as informações projetadas, mantendo contato visual com o interlocutor

Nem sempre uma mensagem necessita de um visual para ser transmitida. Um visual deve ser usado quando atinge esses três objetivos: destaca a informação importante, facilita o acompanhamento do raciocínio e permite que o ouvinte se lembre das informações por tempo mais prolongado.

Dica final importante

Esteja bem preparado para falar usando recursos visuais, mas se prepare ainda mais para falar sem eles. Não são raras as ocasiões em que surgem problemas com os equipamentos. Nesses casos é importante que a apresentação seja feita da melhor maneira possível mesmo sem a ajuda dos visuais

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

As 10 mudanças que vão transformar seu modo de trabalhar

Gartner elabora lista com tendências que transformarão o modo como as empresas atuam.

Por REDAÇÃO DA COMPUTERWORLD


O mundo do trabalho já sofreu alterações profundas nos últimos 20 anos, graças às tecnologias e à evolução das práticas de gestão. E, de acordo com a consultoria Gartner, mudanças ainda maiores estão por vir nos próximos dez anos, quando questões como a falta de rotina e a hiper conectividade afetarão diretamente o mercado e as empresas.
Para a Gartner, um dos principais pontos de mudança será o fato de que as organizações terão menos rotinas. Até 2015, a consultoria projeta que 40% ou mais das corporações trabalharão dessa forma, contra menos de 25% neste ano. Além disso, as pessoas dependerão cada vez mais do trabalho em equipe, o que exigirá tecnologias que garantam a comunicação e a interação entre as pessoas.
Para ajudar as companhias a prever cenários futuros e se preparar para novos ambientes de trabalho, a Gartner listou as dez grandes mudanças para os próximos anos, que impactarão diretamente na TI.
1 – Valorização do trabalho que depende da interação humana
O principal valor das pessoas estará na capacidade de realizar processos que fujam da rotina. As contribuições humanas que resultem em descobertas e inovações estão incluídas nessa categoria. O foco do uso da tecnologia, nesse caso, deve ser muito bem direcionado para estimular uma integração e interação entre os profissionais para estimular ideias e discussões.
2 – Grupos de trabalho
A Gartner prevê também uma disseminação dos trabalhos em grupo para atacar, de forma rápida, problemas específicos e difícil solução. Segundo a consultoria, esse formato de trabalho será muito mais valorizado e premiado do que as ações individuais. Além disso, tende mudar o atual forma do trabalho em equipe, já que dependerá de pessoas de diversas áreas da organização.
3 – Relacionamento em cadeia
Com a adesão aos modelos de trabalho em grupo, os profissionais têm de lidar melhor com as relações em cadeia. Assim, as pessoas precisam explorar o networking (rede de contatos) para buscar os indivíduos mais adequados para resolver problemas e buscar alternativas. Essa postura é crucial para o sucesso das iniciativas em grupo e para o consequente resultado para os negócios.
4 – Equipes externas
A organização não tem controle sobre alguns grupos informais externos de pessoas que podem ter impacto direto no sucesso ou no fracasso da empresa. Esses grupos estão ligados por interesses comuns, incidentes específicos, entre outras razões. Os executivos mais habilidosos sabem conviver com um ecossistema de negócios fora do controle da companhia, com seu poder de influência. Esse poder depende do entendimento sobre o potencial coletivo e da identificação das pessoas-chave nos grupos informais, já que é fundamental reunir inteligência de marketing por meio desses grupos. Igualmente importante é descobrir como usar os grupos para definir segmentos de mercado, produtos e diversas estratégias de negócios.

5 – Processos informaisAs empresas precisam detectar todo tipo de processo que foge da rotina, mas que contribui para a tomada de decisões. Segundo a Gartner, essas ações informais tendem ganhar cada vez mais força no longo prazo.
6 – Trabalho espontâneoOutro conceito incluído na descrição do novo ambiente das empresas é o trabalho espontâneo, o qual não depende de processos ou de funções específicas. A consultoria prevê que boa parte dos projetos tende a nascer a partir desse tipo de iniciativa não programada.
7 – Simulação e experimentaçãoA imersão em ambientes simulados, similares aos que puderam ser visto no filme Minority Report, substituirá a extensa análise de células em planilhas. O ambiente simulado será construído a partir de tecnologias que consigam identificar como reunir elementos baseados na forma como as pessoas interagem com o conteúdo. As pessoas, por sua vez, têm a possibilidade de manipular uma série de parâmetros para reformular o mundo virtual.
8 – Sensibilidade a novos padrõesO mundo dos negócios está ficando mais volátil e já não admite uma postura linear, na qual as experiências passadas baseiam modelos futuros. A tendência é de um mercado cada vez menos previsível, razão pela qual algumas organizações já criam grupos especificamente para detectar padrões emergentes, avaliar essas tendências e desenvolver cenários sobre a influência das grandes mudanças e como explorá-las.
9 – Hiper conectividadeO caráter hiper conectado já está presente na maioria das organizações, que abrangem redes em cima de redes, sobre as quais é difícil manter controle. Com esse cenário, haverá cada vez mais misturas entre relações formais e informais nas relações corporativas, impactando na forma como as pessoas trabalham e na função do departamento de TI, que deve estar preparado para apoiar e aumentar as conexões.
10 – Caem barreiras entre vida profissional e pessoalO local de trabalho é cada vez mais virtual e os encontros de negócios acontecem entre pessoas que mal se conhecem. Mas o funcionário ainda terá seu local físico de trabalho, mesmo que seja em casa. Com isso, a tendência de muitos é que as linhas que separam vida pessoal, profissional, social e familiar desapareçam. Cada indivíduo precisa gerenciar a complexidade criada por demandas que se sobrepõem. Quem não souber administrar essa situação pode ter o desempenho comprometido, pois acabará se deparando com o excesso de informação.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Como elaborar um bom currículo


O curriculum é o registro da sua história profissional.
É a sua propaganda, e como tal não pode ser apenas um pedaço de papel frio.
O currículo deve ser elaborado para destacar suas habilidades e realizações de tal forma que soe como um tambor ou um clarim, anunciando quem você é, de maneira elegante e agradável.
O curriculum deve se constituir numa mensagem breve. Não é à toa que quase no mundo inteiro utiliza-se a palavra francesa résumé (que significa resumo) para designar currículo.
Normalmente o currículo chega ao seu potencial empregador antes de você, portanto, quanto melhor a impressão que causar a seu respeito, mais oportunidades poderá propiciar.
Cuide bem do seu currículo que ele ajudará você a alcançar entrevistas, a primeira metade do caminho para conseguir um novo emprego.


O currículo bem elaborado atrai, o currículo mal elaborado afasta.
Antigamente, destacar-se pelo currículo era usar papel rosa, arrumar o texto em blocos agrupados e densos, com informações que começavam com o seu curso de primeiro grau, incluíam seus hobbies prediletos, estado da saúde e situação matrimonial. Esqueça este tipo de currículo!
Hoje, mudou o mercado de trabalho, e mudaram os currículos. Seja você candidato a uma vaga de presidente, vendedor ou escriturário, o que o seu currículo deve fazer é evidenciar suas habilidades, conquistas e experiência, e é nisso que você vai se distinguir de uma multidão de outros candidatos. Este é o currículo moderno e eficaz!


UM BOM CURRÍCULO…
…apresenta um resumo breve, objetivo e conciso, mas ao mesmo tempo claro, abrangente e verdadeiro sobre a sua experiência passada.


UM BOM CURRÍCULO…
…deve ser cuidadosamente atualizado, muito bem e corretamente escrito, e adequadamente formatado.


UM BOM CURRÍCULO…
…faz você se destacar em uma pilha de outros currículos


UM BOM CURRÍCULO…
…chama a atenção de quem o lê e faz aumentar as suas chances de conseguir a entrevista de emprego.



quarta-feira, 4 de agosto de 2010

SEFAZ - PE

Resultado da análise das Justif. de NÃO ENTREGA (OMISSÃO) do SEF - Sistema de Escrituração Fiscal

Foi publicado no Diário Oficial, o edital DRT número 008/2010, referente aos Formulários de Justificativa enviados pelos contribuintes para o SEF - Sistema de Escrituração Fiscal, referentes ao período fiscal 06/2010. Os contribuintes cujas Inscrições Estaduais
 tiveram suas Justificativas deferidas terão do dia 02/08/2010 até o
  dia 13/08/2010, para transmitirem o respectivo arquivo pela internet.






Informamos que para tomar conhecimento sobre o Deferimento ou Indeferimento da Justificativa Enviada, os contribuintes deverão acessar a ARE VIRTUAL de acordo com orientações do edital transcrito  abaixo.
      
Transcrição do Edital DRT número 008/2010:
      
A DIRETORIA GERAL DA RECEITA TRIBUTÁRIA - DRT, nos termos que dispõe o  inciso III da Portaria SF N° 51/2004, informa que os contribuintes      cujas justificativas de não entrega de arquivo SEF foram deferidas, poderão transmitir, através da internet, os arquivos SEF referentes  aos período de 06/2010 a partir do dia 02/08/2010 até o dia 13/08/2010.
Informamos que todas solicitações foram notificadas por correio eletrônico e que o contribuinte pode consultar uma Justificativa de   não entrega, para isso s contribuintes deverão acessar a ARE VIRTUAL  (na Internet no endereço: http://efisco.sefaz.pe.gov.br), localizar a opção Administração de Documento Econômico-Fiscais - DEF, selecionar a opção Justificativas (Certificado Digital de Contador/Contabilista) ou Justificativas (Certificado Digital de Sócio/Contribuinte) conforme  seu caso e selecionar Consultar Justificativas. Ressaltamos que este   acesso deve ser realizado com certificado digital. 


Origem: SEFAZ-PE