quinta-feira, 9 de outubro de 2014

cinco erros que podem eliminar um candidato

Os responsáveis pelos processos seletivos são treinados para avaliar diversos aspectos do desempenho de um candidato - e um deslize, mesmo que aparentemente inocente, pode pôr tudo a perder. Veja atitudes recorrentes (e malvistas) nas salas de entrevistas, segundo especialistas em recrutamento. 

1 - Assim como a apresentação visual do candidato, a postura ao longo da entrevista também é avaliada. O sujeito que fica todo torto na cadeira, apoiando a cabeça nos braços, é o retrato do desânimo. 

2 - Se você não é um médico-cirurgião ou o presidente da República, atender o celular durante uma entrevista de emprego pode significar o fim da linha no processo seletivo. Se estiver aguardando uma ligação muito importante, avise o examinador ao chegar. E nada justifica um celular tocando música pop ou as insistentes notificações de apps de troca de mensagens. 

3 - A não ser que você seja o único funcionário na folha de pagamentos da sua microempresa, não banque a estrela das companhias para as quais trabalhou. Para a maioria das empresas, candidatos que usam a primeira pessoa para falar de realizações profissionais transmitem a imagem de gestores que não dividem o crédito de suas conquistas com a equipe. 

4 - Comum nas salas de entrevistas, a frase "busco estabilidade no emprego" não é bem vista pelos examinadores. Muitas vezes ela é interpretada como falta de interesse e apatia profissional: o entrevistador entende que o candidato quer se acomodar por ali e estacionar na carreira, o que não é bom para a empresa. 

5 - O profissional que fala mal dos antigos patrões, ainda que de maneira sutil e educada, perde pontos. Afinal, quem garante que, no futuro, o profissional não irá falar o mesmo da empresa em uma futura entrevista em outra companhia? 

Fontes: empresas de recrutamento e seleção Michael Page, Robert Half, Hays e ManpowerGroup Brasil

0 comentários: