terça-feira, 19 de junho de 2012

Como agir na hora da seleção

Autor: Caio Lauer

Como agir na hora da seleção
O desempenho comportamental e a postura de um candidato em um processo seletivo são fatores que influenciam na decisão dos selecionadores. Seja nas dinâmicas de grupo ou na entrevista, o candidato precisa estar preparado para expor as suas qualificações de forma competitiva. Para tal, é importante seguir certos padrões comportamentais que irão colaborar na conquista de uma nova oportunidade de trabalho.

Para começar, chegar no horário combinado é fundamental. O profissional deve se certificar do caminho que irá fazer até o local da seleção para que não ocorra nenhum imprevisto. “O lado comportamental, muitas vezes, se sobressai ao conhecimento técnico e currículo da pessoa. Existem padrões comportamentais básicos que são regidos pelo bom senso, como esperar a vez para falar e agir com cordialidade com as pessoas que estão participando do processo”, indica Leonardo Leitão, gerente de negócios da PROFF Gente & Gestão.

Além da boa articulação e conteúdo na hora de responder às perguntas do selecionador, a linguagem não verbal também influi na percepção do candidato. Ela é uma representação do nosso mundo interior e pode indicar características da personalidade. Manter os braços cruzados e olhar o relógio toda hora são indicativos de uma pessoa fechada e ansiosa. Cumprimentar com um aperto de mão firme e manter contato visual com o entrevistador são duas atitudes simples, mas que podem pesar na avaliação do candidato.

Dependendo da área de atuação, o profissional pode ter uma postura diferente. Em áreas como Vendas, Marketing e Comunicação é essencial que seja mais expansivo e proativo. Em setores como a Tecnologia da Informação, este perfil comunicativo já não influencia tanto, e ser mais recatado não desqualifica o profissional. Cabe ao recrutador avaliar o perfil e competências necessárias para cada área ou empresa contratante.

De acordo com Leitão, alguns fatores podem ter caráter eliminatório, independentemente do perfil de empresa ou setor de atuação. Ser muito prolixo, tomando o tempo de outros participantes, por exemplo, prejudica a imagem do indivíduo na seleção. “Falar mal da organização que trabalhava anteriormente ou fazer comentários que depreciem outros candidatos são dois fatores extremos e que causam impacto negativo”, explica.

Destaque-se

Para obter sucesso, a flexibilidade é essencial. O candidato deve ser adaptável a cada situação e cultura de empresa a fim de se sobressair aos outros participantes. O importante é não deixar de agir naturalmente, buscando um equilíbrio entre a imagem que quer passar e o que os selecionadores precisam para escolhê-lo. Confira algumas dicas listadas por Lucio Tezotto, gerente de atendimento da Catho Online:

• Seja educado, fale pausadamente e explore ao máximo sua experiência profissional;

• Fale apenas de aspectos positivos, evitando queixas ou tom de arrependimento por não ter feito algum curso, reclamar de professores, da instituição de ensino na qual estuda, entre outros;

• Seja um bom ouvinte. Não interrompa o entrevistador em hipótese alguma e fale o necessário: nem muito, nem pouco;

• Tenha uma postura séria e profissional;

• Nunca fale mentiras ou gírias;

• Tenha atenção especial à linguagem, evitando cometer erros de português.

Seguir as regras citadas acima é favorável para tirar o nervosismo e a ansiedade do candidato. Estar preparado e adotar um perfil seguro ajuda, e muito, na performance em uma entrevista de emprego. “Quando o assunto é o currículo da pessoa, as perguntas não fogem de um padrão. É importante estar com as respostas na ponta da língua para mostrar que domina e está pronto para o novo cargo”, completa Leitão


0 comentários: