Como ser mais feliz no trabalho em 2012

Parar de reclamar pode ser o primeiro passo para que você se sinta mais satisfeito no trabalho. Comece o ano focando em assuntos que podem trazer satisfação para que você se sinta recompensado ao final do dia.

Nossa condição pessoal é fundamental para a qualidade do nosso trabalho. Se, não há muito tempo, um workaholic era elogiado, hoje percebe-se que trabalhar durante várias horas não tem ligação direta com a qualidade da demanda.

Confira abaixo cinco perguntas que você deve fazer para avaliar o quanto  está satisfeito com sua carreira.

1. Quanto você se identifica com a liderança da empresa?
Você pode até não ver o presidente da empresa em que trabalha, mas é possível avaliar como é a sua gestão com base no reconhecimento que tem no mercado. Cheque se essas políticas, realmente, são coerentes com suas aspirações pessoais.

2. Como é a sua qualidade de vida?
Você está satisfeito com o tempo que passa com a sua família? O equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é fundamental para que o trabalho não vire fonte de frustrações e problemas. Para isso, mude hábitos. Organize-se, deixe de ser multitarefa, seja disciplinado. Faça de tudo para ter hábitos de profissionais altamente produtivos.

3. Quais são as perspectivas de crescimento profissional?
O profissional que se preocupa com a sua carreira e investe em especialização e capacitação com cursos tem mais chances de se destacar, mas para isso é preciso ter oportunidades na empresa.
O desenvolvimento na carreira é um elemento essencial para que você se sinta pleno no trabalho.

4. Os seus valores estão alinhados aos da empresa?
O que você realmente preza e gostaria que seus colegas de trabalho também compartilhassem? Honre seus valores, pois se você se sente oprimido ou obrigado a trabalhar de uma maneira com a qual não concorda, o trabalho pode não compensar.

5. A remuneração atende às suas necessidades?
Muitas pessoas acham que precisam permanecer em um emprego que detestam por conta do salário. Reflita sobre sua relação com o dinheiro, não se torne escravo de um estilo de vida que não permite que você usufrua um tempo livre com a família ou que só exista para alimentar seu ego.

Um salário alto encanta no primeiro e no segundo mês, mas se o trabalho não oferece desafios que agradem, acaba não valendo a pena. Lembre-se: dinheiro não é tudo. Entre as profissões que têm as pessoas mais felizes estão carreiras totalmente baseadas em paixões e não em salários eloquentes.

Fonte: Portal Exame
PRÓXIMA
« Prev Post
ANTERIOR
Next Post »